Moda executiva: terninho no plenário

by terninho on September 5, 2012


Não, você não precisa perder o charme e a femininlidade dentro de um look sóbrio e imponente. Mulheres e líderes de Estado como Cristina Kirchner e Angela Merkel são exemplos de que é completamente possível conciliar graça e “profissionalismo”.

Para início, a roupa social não precisa ser toda de uma cor só. Ponha uma saia laranja, blusa marrom e arremate com um blazer branco; brinque com os tons de verde; coloque uma blusa de seda amarelo claro – tendência imbatível – por baixo de um terninho azul escuro. Colares também são adequados, podendo dar um toque de sofisticação incomum ao visual.

A saia lápis está saindo dos escritórios e ganhando as passarelas, isso quer dizer que é válido guardar as calças no armário e deixar sua roupa social mais fashion. A grande maioria das “business women” adere a esse tipo de peça, tanto as próprias Cristina e Angela citadas acima quanto Dilma Rousseff corroboram essa afirmação. Para combinar com a peça, ouse.

Publicidade - LAMG

Você pode optar por blazers cropped: modelo mais curto, com um recorte que modela e, sem dúvidas, deixa a executiva muito mais lépida sem perder o ar conspícuo. O off white continua em alta, e, por ser uma cor neutra – até mais chique do que o branco – é muito indicada para o trabalho, se não tiver transparência, logicamente. Ao contrário do que alguns pensam, o vestido pode se tornar um exemplo de roupa social.

No filme “E aí, Comeu?”, a personagem de Dira Paes é moderna, trabalha, mas não esquece seu lado mulher; você pode apostar, assim como ela, num vestido de cor escura, comprimento médio e que valorize suas curvas; não há necessidade de ser justo. Eles também podem ter leve assimetria, detalhe que faz a diferença. Existem inúmeras marcas que compreendem essas necessidades e apostam nas clientes executivas, dentre elas, Zara, Dudalina e Armani.

Anterior:

Seguinte:

Deixe um comentário